quinta-feira, 30 de junho de 2016

Clássicos com torcida única: uma grande enganação

Foto: Assessoria de Imprensa/ALESP
O assunto torcida única, um dos maiores absurdos do futebol no momento, foi debatido em audiência na Assembleia Legislativa de São Paulo. Confira excelente reportagem de Gabriela Moreira, dos canais ESPN. Clique Aqui.

Acompanhe o posicionamento de Mauro Cezar Pereira, comentarista da ESPN, que apresentou exemplos de como os hooligans são combatidos na Inglaterra e sugeriu mudanças na legislação. Para ele, a torcida única é ineficaz, pois não resolve a violência causada em diversos pontos da cidade. Clique Aqui.

Os vídeos mencionados ilustram bem meu pensamento. Antes que você apaixonado pelo futebol que nos acessa pela primeira vez pense algo errado, abordar o futebol profissional aqui não significa apoiar o futebol moderno, com suas arenas frígidas, com as proibições de bandeiras, instrumentos musicais e sinalizadores, censurando os torcedores mais apaixonados. Pelo contrário, a coibição da festa do futebol será sempre um dos assuntos aqui combatidos.

O futebol, pela sua abrangência, deve ser democrático, com espaço para todos, inclusive para os aficionados de arquibancada, obviamente, pois futebol não é cinema nem teatro, artes maravilhosas, mas que têm públicos, pois não há um jogo com dois lados envolvidos. Futebol não tem público, têm torcidas e as pessoas de bem que fazem parte delas têm que ser respeitadas. Os maus elementos que sejam identificados e presos. E eles agem nas ruas e não nos estádios como mostram todas as pesquisas.

As forças de segurança pública não demonstram competência para combater o cerne do problema e mascaram a realidade tentando acabar com a cultura da arquibancada e uma parte da cultura brasileira. A violência é um problema social do Brasil. A exclusão da cultura da arquibancada e a aplicação de torcida única nos clássicos são medidas absolutamente inócuas.

Veja alguns exemplos de como as torcidas são importantes, como um 12º jogador para mover as equipes em busca do resultado, além de promoverem um espetáculo à parte:






Antes de encerrarmos, algumas observações precisam ser feitas. A primeira é que os sinalizadores aqui defendidos são aqueles simples, que só possuem uma fumaça colorida para embelezar e enaltecer a arquibancada, como sempre aconteceu. Nem todos os sinalizadores são navais, como o daquele idiota que matou o garoto boliviano Kevin Espada. Além disso, é preciso deixar claro que não estamos defendendo as torcidas organizadas, pois nem todos os torcedores de arquibancadas são organizados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário