sábado, 9 de julho de 2016

Eurocopa: Título será merecido

Griezmann e Cristiano Ronaldo, dois dos maiores craques do futebol contemporâneo, se cumprimentam na final da Liga dos Campeõs, em maio. Agora, na final da Eurocopa, estarão frente a frente novamente.

Cristiano Ronaldo poderá causar a Griezmann o sofrimento que sentiu. Não caro leitor, não se trata de uma vingança ou qualquer rixa entre ambos. Ocorre que o futebol faz heróis, vilões e algozes, causa alegrias e tristezas. O mundo da bola também dá voltas. E a tristeza que Cristiano Ronaldo sentiu no fatídico 4 de julho de 2004, data da final perdida por Portugal em casa por 1 a 0 diante da Grécia (gol inesquecível de cabeça de Charisteas em Lisboa) pode acontecer com Griezmann.

Naquela ocasião, Ronaldo tinha 19 anos e despontava como grande revelação e principal destaque da seleção comandada por Felipão. Causava euforia nos portugueses. Doze anos se passaram e o hoje consagrado astro do futebol mundial, já veterano, terá a chance de pela primeira vez conquistar um título pela seleção de seu país. Título que era para ter vindo em 2004, mas por um desses caprichos e tragédias do futebol isso não ocorreu. Quis o destino que a nova oportunidade para o gajo viesse desta vez como visitante, numa França eufórica com sua seleção e principalmente com Griezmann.

O atacante do Atlético de Madrid não é tão jovem quanto era Ronaldo. Tem 25 anos. Também está longe de ser o monstro que é Ronaldo. Mas é um dos candidatos a ser melhor do mundo futuramente. Vinha de grandes temporadas na Espanha com a camisa da Real Sociedad. Apareceu como um destaque mundial do futebol apenas na última temporada, quando disputou o título espanhol e a chegou até a final da Liga dos Campeões.

Griezmman, que perdeu um pênalti no tempo normal na final da Champions em San Siro, viu Ronaldo marcar o gol que deu o 11ª título o Real Madrid na última cobrança da decisão por pênaltis. Agora, diante de sua torcida, o principal nome da Eurocopa pode ver de novo sucumbir suas chances de ser campeão diante de... Cristiano Ronaldo.

A França tem mais time. Além de Griezmann, o goleiro Lloris e os meias Pogba e Payet podem fazer a diferença. No time português, apenas Cristiano Ronaldo demonstra indubitável poder de decisão. Os demais podem decidir, é claro, pois no futebol tudo pode acontecer e eles não chegaram à toa até a decisão, mas fora o jogador eleito três vezes o melhor do mundo não dá para imaginar na seleção portuguesa alguém com tamanha capacidade para tanto. Mas há bons jogadores, como o experiente zagueiro Pepe, multi-campeão com Ronaldo no Real Madrid, e o meio-campista Renato Sanches, revelação do Benfica na última temporada e que depois da Euro inicia sua trajetória no poderoso Bayern de Munique. Olho nele. Hoje é um bom jogador. Amanhã pode ser craque.

Será a conquista memorável de uma boa geração do futebol francês diante de sua torcida ou a consagração definitiva de Cristiano Ronaldo. A ver. Quem vencer merecerá.

As prováveis equipes e como ambas devem se espalhar dentro de campo:

Nenhum comentário:

Postar um comentário