terça-feira, 23 de agosto de 2016

Momento de reagir

É grande a expectativa para a estreia do técnico Tite. Brasil enfrenta o Equador em Quito, dia 1 de setembro, quinta-feira, às 18h00 (horário de Brasília); na terça a equipe joga em território brasileiro, na Arena Amazônia, terça-feira, 6, às 21h45
(Foto: Kin Saito / CBF)

A primeira convocação de Tite como técnico da Seleção Brasileira, em geral, foi boa. O pensamento deste blogueiro pode ser conferido em post anterior. Leia mais.

Na maioria dos nomes há concordância. Fernando Prass e Douglas Costa só não foram chamados porque estão contundidos. Thiago Silva e Ganso, talvez por ainda não estarem nas condições ideias do ponto de vista físico e até mesmo técnico no caso de Ganso, já que ele recém chegou ao Sevilla. Na época da postagem o meia ainda defendia o São Paulo e estava em alta. Vale lembrar que ele sofreu uma contusão antes de ir para a Espanha e ficou fora dos jogos decisivos do time do Morumbi na Libertadores.

Entre os olímpicos, todos foram sugeridos naquela postagem, com exceção de Weverton e Rodrigo Caio. Mas nesse meio tempo, entretanto, ambos fizeram uma Olimpíada tão boa que não poderiam ficar de fora.

Das novidades, Fagner, Rafael Carioca e Giuliano haviam sido sugeridos e listados como opções. Já as convocações de Paulinho e Taison em nada se justificam. Allan, do Napoli, e Luan, do Grêmio, respectivamente, deveriam ser chamados para as vagas do volante e do atacante.

Mas numa convocação de seleção, em momentos de dúvidas, geralmente os técnicos acabam convocando quem é de maior confiança. Paulinho, no Corinthians, e Taison, no Inter, foram atletas do atual treinador da Seleção Brasileira.

É preciso sempre levar em consideração, no entanto, que o futebol não é uma ciência exata e há muitos aspectos subjetivos envolvidos na montagem de um grupo. Portanto, nunca haverá um consenso numa convocação.

O respeito e a confiança que se devem ter em Tite nesse momento são grandes, pois depois de muito tempo a seleção tem um treinador que, de fato, era o melhor do País antes de assumir o cargo.

Tite também deu sorte. O momento é bom para sua estreia, já que a conquista da medalha de ouro nas Olimpíadas melhorou a empolgação dos torcedores, e portanto favorável para reagir e sair da incômoda sexta colocação nas Eliminatórias, posição que hoje não daria a classificação nem para a repescagem da Copa de 2018 na Rússia.

A provável escalação do novo treinador no 4-1-4-1:


OBS; os números são apenas sugestivos

Reservas

Goleiros: Marcelo Grohe e Weverton
Laterais: Fágner e Filipe Luís
Zagueiros: Marquinhos e Rodrigo Caio
Volante: Rafael Carioca
Meias: Lucas Lima e Giuliano
Atacantes: Gabigol, Gabriel Jesus e Taison

Nenhum comentário:

Postar um comentário